CORDILHEIRA DOS ANDES

CORDILHEIRA DOS ANDES
Complexo Hoteleiro localizado a 3 mil metros de altitude na Cordilheira dos Andes, na estação de sky Valle Nevado em Santiago do Chile - Foto 03.05.2012

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Revolução Cubana

A sorte da população carente brasileira está lançada no tocante a saúde pública. Na ótica do governo, os brasileiros, especialmente os que vivem em regiões mais pobres e afastadas dos grandes centros urbanos terão, finalmente, seus problemas de saúde resolvida com a vinda de milhares de médicos cubanos ao país. Em Brasília a alta temperatura ambiental não se registra somente nos termômetros de rua, sobretudo, os expressos pelas mobilizações das entidades de classe, mas também, na casa legislativa. No dia 20 de agosto de 2013, por exemplo médicos do país todo, o Conselho Federal de Medicina, Policiais Civis, Fisioterapeutas, Bacharéis em Direito tomaram as dependências do Congresso Nacional aos gritos e a força irresignados. A Polícia Legislativa, os funcionários de segurança interna da casa foram sumariamente esmagados pelos manifestantes de um lado pela CUT e outras mobilizações sociais e de outro pela falta do efetivo capaz de conter a ordem da casa. O aviso está dado a todas as instituições republicanas. O sinal da revolução cubana encubado em território brasileiro se reveste de outras facetas. Enquanto a classe menos favorecida será assistida por um “exército” de médicos cubanos, autorizados a “exercitarem” a “democráticas da médica”, a classe média continua sacrificada no financiamento da ineficiência da máquina administrativa pública, inertes e em estado de letargia. Afinal, quem são os guardiões da legalidade atualmente no país? Não os vejo. O desafio se impõe tal qual como achar uma agulha no palheiro. Impedir o golpe vermelho em curso no país se impõe antes mesmo que seja muito tarde. Os sinais visíveis que estabelecem a fronteira entre o capitalismo e o comunismo bolchevique são subliminares, sutis e quase que imperceptíveis aos olhos e sentimentos dos incautos. O Deputado Jair Bolsonaro em seus diversos pronunciamentos de plenário advertiu o parlamento tingido das cores rubro negras, de que o Brasil não pode se transformar em palco anexo de Cuba dos propósitos daquele país, muito preocupado com a “democracia” popular. Obviamente que com a vinda dos médicos cubanos ao Brasil, virão também todos os seus dependentes, o que fatalmente aumentará o “exército” de extremistas que de medicina pouco ou nada interessa aos símbolos da incubadora pretensão no país. O passado cobra a dívida com juros e correção monetária dos asseclas terroristas que turbaram a nação brasileira da ocupação comunista de outrora. Curiosamente em 1º de abril de 1964, do Rio Grande do Sul chegou a notícia de que Jango Goulart fugira para o Uruguai. Teriam também escapado às pressas Leonel Brizola e, pasmem, o Embaixador Cubano e chefes graduados dos vermelhos, que dispararam para as fronteiras limítrofes dos países latinos vizinhos e pularam depressa para dentro de aviões rumo a Cuba ou usando como esconderijo as embaixadas “amigas” de países da Cortina de Ferro. Já naquela época. A pergunta é: como pode uma nação divida, de aproximadamente 200 milhões de pessoas mudarem politicamente tão rápido com as carnificinas de circo romano cubano? A revolução cubana já começou no Brasil debaixo dos olhos das forças armadas. E-mail: cos.schneider@gmail.com.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A Terra Brasilis de Cabral

Aqui em Brasília vamos enfrentar mais um dia de muito calor com umidade relativa do ar menor que 25% (vinte e cinco por cento) cuja temperatura será sentida mais uma vez no Congresso Nacional do que pela gente da capital brasileira. Ontem 13 de agosto, integramos a mesa do Plenário 9 da Comissão de Direitos Humanos e Minorias para discutir a violação dos direitos humanos pela Ordem dos Advogados do Brasil – OAB nacional, cuja audiência pública foi provocada por um Bacharel em Direito de Brasília em greve de fome aqui, pelas injustiças patrocinadas no último exame de ordem pela entidade representativa dos advogados, cuja audiência poderá ser vista por qualquer pessoa no site da Câmara http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/webcamara/ao-vivo/transmissoes-do-dia/videoArquivo?codSessao=45174#videoTitulo . O fato marcante da sessão de plenário não a audiência em si visto pelos discursos apresentados, a prática da violação dos direitos humanos pela OAB é flagrante e terá desdobramentos sérios. Novamente foi trazido a plenário a questão dos sete mil médicos cubanos que virão ao Brasil prestar serviços médicos, independente de suas habilidades como profissionais da medicina. O Conselho Regional de Medicina, diferente da Ordem dos Advogados do Brasil em relação aos advogados português que podem trabalhar no país, reagiu severamente contra esta atitude grosseira do executivo federal. Não bastassem os sete mil médicos cubanos, com eles virão a super população de TODOS os familiares. O Deputado Jair Bolsonaro foi enfático de solar clareza desta denúncia. As instituições republicanas estão entregues aos ratos da corte que roem a roupa do rei de Brasília (hoje rainha, mal comparando). Já vimos este filme em tempos passados. A fala mansa, sorridente da semana passada pela Presidente Dilma em Porto Alegre foi sórdida e maquiavélica. A simpatia é a melhor ferramenta de desarme do inimigo encurralando a comunidade suína no curral do abatedouro. O Brasil vive tormentos momento de extremo perigo institucional. Há dúvida aqui em Brasília no meio político das eleições de 2014. Aliás ontem a Comissão Política aqui do Congresso se reuniu em quadrilha para tratar do novo modelo político do Brasil. Os horizontes nada promissores a vista principalmente quando se tem notícias de que o País não é mais governado pelos brasileiros, o que é profundamente lamentável.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Fraude da Urna Eletrônica Brasileira

Ano que vem teremos mais um espetáculo pirotécnico momento em que ocorrerão eleições gerais em todo país para escolha daqueles que irão dizer o destino da nação brasileira. Momento telúrico dos partidos articulados pelos seus prefeitos locais é abastecido de mecanismos convenientes a fim de garantir o apoio de cada base municipal em favor dos pretendentes a reeleição ou aos neófitos. O que não se consegue entender é o fato de que, a história trata dos seus ensinamentos e a humanidade desconsidera seus efeitos. Afinal, depois de eleito o representante político, acabou a representação popular. A regra deve ser o de garantir a representação do povo pelos seus eleitos através do voto direto e secreto. Afinal, o que é uma eleição? Ainda existe a soberania popular no Brasil? Porque o voto não é impresso? A resposta não é nada simples, embora devêssemos enfatizar que o voto é a democracia, a democracia o poder e este, exercido pelo voto direto e secreto do povo se constituindo no destinatário final na administração da coisa pública. Em suma, é hilariante afirmar, mas é o povo no poder. A grande preocupação que norteiam as eleições de há muito tempo no Brasil, não é nem o processo da eleição em si mas, a forma do seu desfecho, ou seja, seu resultado. Embora as bases eleitorais sejam os municípios na construção e representação dos partidos e dos seus representantes políticos, o mistério das eleições é o que norteia a safada urna eletrônica constituída hoje como a grande vigarista do sistema eleitoral, quando nenhum eleitor tem a certeza de que seu voto foi contabilizado para o candidato selecionado no sistema. Sabido de todos que países como Alemanha, Estados Unidos da América do Norte, Canadá, Japão, Itália, China até o Paraguay refutaram as urnas eletrônicas brasileiras por considerá-la não confiáveis e são fraudáveis. Todos os países citados auditaram a urna eletrônica. O Brasil adotou este lixo eleitoral retirando teoricamente a elegante soberania do voto direto e secreto. O Superior Tribunal Eleitoral do Brasil chama agora obrigatoriamente seus eleitores a se identificarem através da impressão digital, denominado também de identificação biométrica. Esta prática abre as portas do voto do analfabeto que não lê e não escreve, tão pouco sabe avaliar uma proposta de qualquer candidato. Estará assim habilitado ao voto embora contrário a Constituição Federal do Brasil. A Urna Eletrônica brasileira, até que prove em contrário, é uma fraude a manipular resultados em todos os níveis das eleições, especialmente as majoritárias como no caso eleger, mesmo contra vontade dos eleitores, candidatos pré-selecionados pelo sistema que selecionado na engenharia da linguagem dos programas que rodarão no dia das eleições. A bomba de tempo e o cavalo de Tróia serão os agentes autorizados a manipular as eleições que podem custar alguns milhões de reais para sua consecução coisa que para os partidos no poder não é problema. Preparem-se apenas para apertar os botõezinhos da urna e dançar de acordo com a sua musiqueta, pois só falta ela olhar para o eleitor e entoar a flauta.